Alimentação para pessoas com diabetes {Saiba tudo sobre}

O que é a pré-diabetes e porque é possível que eu, sem saber, sofra desta condição?
09/02/2017
Diabetes causa impotência? {Saiba desse mal que pode afligir os diabéticos}
17/05/2017

diabete_capa

Artigo de especialista – Liohanna d’Avila*

A diabetes Mellitus (DM) é uma doença de origem multifatorial caracterizada por níveis elevados de glicose no sangue, resultante da ausência ou redução dos níveis de insulina e sua ação reduzida nas células. Atualmente é considerada uma das desordens metabólicas e endócrinas mais graves que continua em constante crescimento.

Quais os principais fatores responsáveis pelo crescimento da diabetes?

Toda essa magnitude da DM deve-se principalmente ao estilo de vida adotado, com ênfase nos hábitos alimentares e na prática de atividade física, uma vez que esses dois fatores são considerados uma intervenção primária, ou seja, atuam na prevenção e no retardo da progressão da DM.

O que eu devo ter cautela ao consumir?

É preciso reduzir a ingestão e ter uma escolha mais seletiva dos carboidratos, pois são alimentos com potencial de aumentar a glicose no sangue e a secreção de insulina, principalmente os refinados, que possuem baixo teor de fibras. Consuma, preferencialmente, pães, massas e arroz integrais e frutas com casca, pois contêm mais fibras que vão modular a glicemia. Ou seja, aposte em carboidratos de baixo índice glicêmico.

 

 

Controle a Diabetes de forma natural. Conheça o Diabetes Dominada e livre-se dos remédios!

 

 

O que é índice glicêmico (IG)?

É um método que diferencia diversos alimentos, como os carboidratos, de acordo com seu potencial em aumentar a glicose no sangue. Ele foi proposto para auxiliar a seleção de alimentos, ou seja, de preferência escolha alimentos de baixo IG (IG>75), pois retardam a absorção de glicose pelo sangue. Dentre eles, destaca-se a cenoura crua, aspargos, brócolis, repolho, couve-flor, berinjela, abobrinha, amendoim, feijão preto, damasco seco, grão-de-bico, batata-doce, arroz integral, macarrão integral, maçã, pera e aveia.
Existem diversos fatores que podem interferir na resposta glicêmica dos alimentos, como sua procedência, tipo de cultivo, forma de processamento e cocção, consistência e teor de fibras.

 

 

Alimentação saudável para diabéticos

Prebióticos: são pequenos carboidratos que selecionam e estimulam o crescimento de bactérias bifidogênicas e lactobacilos no intestino. Dentre eles, destaca-se o único a ser considerado alimento funcional, a inulina, que tem como fontes mais comuns a chicória, cebola, banana verde, alho, alho-poró, alcachofra e batata yacon. A fermentação da inulina pelos probióticos é capaz de agir na manutenção da microbiota intestinal e dessa maneira impedir a proliferação de bactérias potencialmente prejudiciais.

Farinha ou biomassa de banana verde: a banana verde é composta por cerca de 55% a 93% de amido resistente, que atua como fibra alimentar uma vez que não é digerido, sendo substrato para fermentação de bactérias anaeróbicas no colón, ou seja, também é considerada um prebiótico. É capaz de reduzir o índice glicêmico dos alimentos, evitando o pico de glicemia e proporcionando uma resposta insulínica adequada e sensação de saciedade por um período maior. A farinha de banana verde pode ser utilizada em preparações como bolos e tortas e a biomassa pode ser incluída em vitaminas, sucos, entre outras receitas. Tem um gosto neutro, baixo teor de açúcar e é superacessível.

Batata yacon: é utilizada pelos povos indígenas andinos não somente como um tubérculo, mas também como um vegetal e planta medicinal devido às suas propriedades. Contém uma grande quantidade de amido resistente que não é metabolizado pelo trato digestivo humano e, consequentemente, seu consumo não aumenta o nível de glicose no sangue. Por essa razão, é considerado um alimento ideal para os diabéticos e um ótimo substituto para a batata inglesa, arroz e macarrão.

Maca peruana: é utilizada há séculos nos Andes com o intuito de melhorar a fertilidade em humanos e animais. Entretanto, seus benefícios são inúmeros, uma vez que ela pode ser considerada como alimento nutracêutico. Na diabetes, estudos demonstraram benefícios quanto a função hepática e renal, no perfil lipídico e na glicemia. Ou seja, é outro alimento que deve ser incluso na alimentação de diabéticos. Por ser vendida em pó, são inúmeras as formas de consumi-la, além de não alterar tanto o sabor dos alimentos.

Resveratrol: é um polifenol encontrado principalmente na casca de uvas roxas e vermelhas, e possui características bem conhecidas como cardipotrotetora e antioxidante. Porém, estudos vem mostrando um novo potencial do resveratrol como um agente antidiabético por reduzir a glicemia, recuperar a secreção de insulina e também atuar na sua sinalização em quadro de resistência à insulina. Mas vale ressaltar que seus benefícios se encontram na casca da uva, sendo necessário consumi-la diariamente em quantidades moderadas.

*Liohanna d’Avila, nutricionista graduada pela Universidade Federal do Pará (UFPA), pós-graduada em Nutrição Funcional e mestre em Nutrição e Saúde (UECE). Atua como personal diet e com atendimento no consultório.

Alimentação para pessoas com diabetes {Saiba tudo sobre}
5 (100%) 2 votes